BRASIL

Dólar sobe a R$ 4,481, e Bolsa vira e fecha em alta, em mês de recordes



O dólar comercial e o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, tiveram mais um dia de fortes oscilações em meio aos temores, mundo afora, dos impactos do coronavírus na economia global. Também foram influenciados, no fim do dia, pela indicação de que o banco central dos Estados Unidos pode cortar as taxas de juros para estimular a economia. Com isso, fecharam fevereiro batendo recordes. O dólar comercial fechou o dia em alta de 0,13%, cotado a R$ 4,481 na venda, batendo outro recorde nominal (sem considerar a inflação) de fechamento. Foi o oitavo dia seguido de alta, a sequência mais longa desde 2015. Ao longo do dia, o dólar chegou a operar acima de R$ 4,51.

Em fevereiro, o dólar acumulou valorização de 4,56%, a maior para o mês também desde 2015 (6,19%). Em janeiro deste ano, já havia disparado 6,8%. No acumulado de 2020, a alta é de 11,67%. Na semana, a cotação saltou 2%, depois de ter subido 2,14% na semana anterior. O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, chegou a registrar queda de mais de 2%, mas virou após as notícias vindas dos EUA e encerrou o dia em alta de 1,15%, aos 104.171,57 pontos. Na semana, porém, a Bolsa acumulou queda de 8,37%. Em fevereiro, a perda foi de 8,43%, a maior para um mês desde maio de 2018. 





COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM