BOM JESUS

Profissionais de Saúde de Bom Jesus reivindicam o aumento do pagamento de insalubridade.
Em contato com nossa redação, alguns profissionais de saúde da rede municipal nos relataram as dificuldades da Classe neste momento de pandemia.




imagem ilustrativa ( acritica.net)

Entre muitas angústias relatadas, os profissionais destacaram a insegurança por limitação de equipamentos básicos de proteção individual   no trabalho e também o risco eminente de contaminação, onde  80% das pessoas que têm Covid 19 são  assintomáticos ou oligossintomáticos, mas   vão para a atenção básica com outros problemas de saúde e acabam “disseminando” o vírus aos profissionais que não estão na dita “linha de frente”, que são aqueles profissionais que estão designados a atender os que têm algum sintoma respiratório, que são os outros  20% e vão para o Centro covid 19.
 
“No início só tínhamos máscaras, mas a partir de 04 de maio começou a chegar aventais e gorros. Muita limitação de materiais(...) ,tivemos até que envolver a Procuradoria de Trabalho, e com isso o problema de EPI’s diminuiu.
 
Temos muito medo, muito receio,  mas não  temos opção de ficar em casa, temos que cumprir nossa missão. O medo é constante até por que não tem uma  rotina na aplicação destes testes e na grande maioria das vezes estamos vulneráveis com a falta de EPI’S a todos nós.

A questão da Insalubridade, com a Pandemia, foi dito que: pela intensidade da transmissibilidades do vírus temos direito a  essa majoração de 20% para 40% ( devido ao alto risco de transmissibilidades e periculosidade).

A gestão Municipal  ( Secretária Municipal de Saúde) colocando dificuldade para implantar esses 40%, nos justificou que houve aumento salarial no início do ano a todos os profissionais de saúde  e agora não tem como pagar essa porcentagem da insalubridade.

Entramos em contato com o presidente do Sindicato para intervir por nós  e ele nos mandou um áudio  nos informando de nossos direitos, principalmente neste momento crítico( relatos dos profissionais de saúde).

O Diretor-presidente do Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí (SENATEPI), Erick Riccely , disse que a insalubridade neste momento faz jus aos 40% para todo e qualquer profissional que esteja na linha de frente em atendimentos, seja ele Básico ou específico para COVID 19. 
 
     “Assim como estou fazendo esta cobrança da majoração da insalubridade, também irei elogiar quando atenderem a esse  nosso pedido, sendo assim uma grande demonstração de respeito a todos os profissionais”, enfatizou Riccely. 

 
Nosso Portal está aberto a Réplica da Secretaria Municipal de Saúde, caso queira dar sua versão  aos fatos acima citados.



Confira o áudio:






COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM