ECONOMIA

Combustíveis sobem novamente nesta sexta e sindicato prevê queda no consumo





A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (18) mais um reajuste de combustíveis. Gasolina e diesel vão subir 10,2% e 15,1%, respectivamente, a partir desta sexta. Só este ano, é o quarto reajuste da gasolina e o terceiro do diesel. Segundo o coordenador executivo do Sindicato dos Postos Revendedores de Combustíveis do Piauí (Sindipostos), Anorcil Andrade, ainda não é possível saber o valor real do aumento nas bombas.

 

"A gente não tem ainda uma ideia de preço final pois essa informação é recente. A gente espera primeiro as companhias passarem os valores para que a gente tenha uma ideia de preço final", afirmou em entrevista à TV Cidade Verde.



O preço médio da gasolina em Teresina, por exemplo, varia de R$ 4,87 a R$ 5,29. "Além da tributação, você tem margem comercial em todas as etapas e tem o frete. Isso onera um pouco mais", explica o coordenador.


A tendência, segundo ele, é que as vendas caiam com mais um reajuste. "Todo aumento impacta, pois cria uma redução natural do consumidor final. Ele repensa para poder usar o seu veículo e a consequência é ter uma redução no consumo", acredita.


Para o membro do sindicato, os aumentos devem prosseguir em virtude da política de preços adotada pela Petrobras, totalmente atrelada ao dólar.



"A gente não acredita que a Petrobras deva parar por aqui. Ao longo de 2020 a Petrobras tentou fazer uma paridade internacional, ou seja, tentar criar um preço em nível internacional, não conseguindo em detrimento da pandemia, mas já começou muito forte nos primeiros meses deste ano. Não vai ter uma parada até ela conseguir essa paridade internacional e até o dólar ficar estável", alerta Anorcil Andrade.



Os constantes aumentos motivam embate entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e governadores sobre as responsabilidades pelos altos preços dos combustíveis. Os reajustes anunciados nesta quinta são os maiores deste ano. Desde janeiro, o preço da gasolina vendida pela Petrobras acumula alta de 34,7%. O diesel subiu 27,7% no mesmo período.


Nas bombas, segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis), os repasses elevaram o preço da gasolina em 6,8% entre a última semana de dezembro a semana passada. O preço do diesel nos postos subiu 4,6% no mesmo período.


Via Cidade Verde



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM