ENTREVISTA

Bonjesuense João Maia irá participar do Festival Paraty em Foco
O fotografo criador da ‘Fotografia Cega’, irá participar também da cobertura das Paraolimpíadas em Tóquio




João Maia

João Maia, Bonjesuense e fundador da Fotografia Cega já participou de exposições coletivas (nacionais e internacionais) e realizou exposição fotográfica na cidade de Yokohama no Japão, ano 2019. Agora o fotógrafo foi surpreendido com o convite para participar de um dos mais importantes eventos de fotografia, o Paraty em Foco. Paraty em Foco - Festival Internacional de Fotografia é sem dúvida a mais importante referência dos festivais brasileiros, atraindo um público de toda a América Latina, apresentando convidados internacionais de primeira grandeza e as melhores expressões do país.
 
 
A reportagem do Portal Gurguéia entrevistou o fotógrafo João Maia, na oportunidade falamos sobre o Paraty em Foco, os desafios de um fotógrafo cego e também sobre as Paraolimpíadas de Tóquio que acontecerão este ano.
 
 
​O fotógrafo que “vê além do que os olhos enxergam" foi o único brasileiro com deficiência visual a cobrir os Jogos paralímpicos Rio 2016. Confira agora a entrevista.
 


 
Como você se sentiu ao receber o convite para participar de um evento de tamanha grandeza?
 

João Maia:
“Eu me senti privilegiado, o Paraty em foco é considerado um dos maiores eventos de fotografia do brasil, eu já participei de outros eventos como o Valongo, o festival de fotografia de Brasília que é considerado um dos maiores festivais do Brasil de exposição coletiva, tive uma exposição montada em Brasília. Participei também do festival de Amparo, dando palestras. Eu fico muito feliz, pois fui o primeiro deficiente visual, brasileiro, negro e nordestino e bonjesuense a cobrir uma Paraolimpíada, que aconteceu em 2016 no Rio de Janeiro e, após isso, o meu nome passou a ser conhecido no Brasil e no mundo como um fotógrafo cego, só tenho a agradecer. E quando se recebe o convite para participar de um evento da magnitude do Paraty em foco o sentimento é de muita alegria. Estou muito contente em poder representar todas as pessoas deficientes visuais do Brasil e do mundo neste evento grandioso.”
 

E enquanto aos desafios que você enfrenta como deficiente visual no mundo da fotografia?
 

João Maia:
“As barreiras que encontramos são inúmeras, entre elas a acessibilidade. Infelizmente hoje em dia apenas o celular tem acessibilidade, com o desenvolvimento da tecnologia podemos fotografar através da câmera do celular, com o reconhecimento facial fazemos um auto retrato. Tudo isso ajuda bastante o deficiente visual a ter mais facilidade de enquadrar um retrato. A um tempo atrás tive o privilégio de receber da Canon Brasil um protótipo de uma câmera profissional com acessibilidade e isso me ajudou demais. Temos diversas barreiras, mas com a ajuda da tecnologia tentamos supera-las. Quando se fotografa com o coração essas barreiras desaparecem. Eu costumo dizer que eu transformo sons em imagens, a minha fotografia utiliza as percepções olfativas, táteis e auditivas, e a fotografia é isso, memória, sentimento e acima de tudo a fotografia é paixão, amor, vai além de um olhar e além de um clique, exatamente por isto que a fotografia não é exclusiva de quem pode enxergar a fotografia é para todos, é vida, é a minha vida.” Disse.
 

Paraolimpíadas de Tóquio

 

Maia estará na cobertura das Paraolimpíadas de Tóquio no Japão, e está realizando uma campanha para arrecadar fundos para a viagem que acontecerá em agosto, o valor necessário é de R$ 30.000,00 (trinta mil reais), que irá custear as passagens, hotel e alimentação dele e sua acompanhante. Você pode contribuir comprando uma camiseta ou participando do financiamento coletivo que está sendo realizado por meio de uma “vaquinha”, clique aqui e contribua. Para adquirir a camiseta entre em contato pelo: 11 98256-4769. 



 

Presente da Canon
 


Em dezembro de 2019, a Canon lançou sua campanha de natal tendo João Maia como protagonista e sem que ele soubesse, recebeu de presente uma câmera totalmente acessível. João também recebeu em fevereiro de 2020 o Prêmio Internacional Ibero Americano “O nevado Solidário de Ouro”, na Câmara Municipal de São Paulo.
 



Sobre João Maia


 
O fotógrafo nasceu em Bom Jesus do Piauí, em 1974. Cresceu como uma criança normal, cheio das peripécias de moleque de interior. Porém aos 28 anos foi acometido de uma Uveíte bilateral. Restou-lhe enxergar vultos e perceber cores. Nada mais.  Porém, sua visão interior e sua percepção da vida continuou muito clara no seu horizonte. Assim que perdeu a visão, João se envolveu com o Movimento Paralímpico. Foi atleta de arremesso de peso e lançamento de dardo e disco, durante sete anos. Mas, sua realização pessoal mesmo foi quando conheceu a fotografia. Fez o Curso Livre de fotografia para pessoas com deficiência visual (2008 a 2012), no Museu de Arte Moderna em São Paulo. Tomou gosto pela arte e percebeu que poderia ver muito além do que seus olhos permitiam. Aumentou seu currículo com outros cursos de fotografia e se voltou com toda garra ao movimento paralímpico; desta vez, por trás das lentes.


 

Confira na galeria abaixo alguns dos trabalhos do Bonjesuense.
 
 
A cópia total ou parcial deste material, é crime conforme Lei Nº 9.610 de Fevereiro de 1998.



Galeria de Fotos:



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



BOM JESUS  |   05/03/2021 09h57

Bom Jesus - PI
 




BOM JESUS  |   05/03/2021 08h42

Bom Jesus - PI
 

BOM JESUS  |   04/03/2021 20h59

Bom Jesus - PI