BOM JESUS | Adélia era “letrada” e repassava o que sabia

Mulher Generosa: “Professora autodidata” , ela alfabetizava nas fazendas e comunidades rurais





Sua vontade para  saber ler , escrever e a dominar as 4 operações fez com que não desistisse de seu sonho de ser Professora. Estudou até a antiga 4ª série e mesmo com todas as dificuldades não parou por aí; buscou apoio e ajuda de um amigo para lhe trazer cartilhas e cadernos e com isso treinava e lia constantemente. Passou a ensinar os mais próximos a ler e escrever e com essa atitude foi chamando a atenção de fazendeiros da região que passaram a contratá-la para alfabetizar as crianças das fazendas e comunidades.

Adélia vivia de lá pra cá ( Criolli, Jurema, Capitão do Campo, Vereda da Onça...) repassando o que sabia e sempre buscando aprender mais e mais, foi aí que Seu Joaquim Capistânio falou com o prefeito  Nestor  Pinheiro ( na década de 60) para que a jovem “professora autodidata” fosse contratada pela prefeitura para dar aulas para os Santa-luzenses. Foram 7anos sendo professora do município de Santa Luz até que Adélia veio morar em Bom Jesus e teve que abandonar o que tanto amava fazer: dar aulas.

Uma curiosidade em sua vida: casou-se com um rapaz que foi alfabetizado por ela, onde havia sido contratada pelo pai dele ( Patrício Andrade) para dar aulas as crianças da comunidade onde moravam. Logo depois do nascimento de seu primeiro filho, sua sogra que era lactante, acabou falecendo e com isso Adélia passou a amamentar além de seu filho o cunhado também ,  que cresceu a chamando de mãe.

Com as chegada dos 10 filhos ( 2 in memorian) , ela teve que acompanhar o marido e desistiu de vez da sala de aula; passou a costurar para ajudar no orçamento da família e ajudar a vestir a filharada ( além dos seus tinha que cuidar de 3 cunhados menores de idade).

Veio morar na cidade de Bom Jesus para facilitar a vida escolar de seus filhos, mas o sonho de um curso superior foi conquista apenas de uma filha de Adélia que sonha agora em ver seus netos formados.
 “ Apenas minha filha Dulce se formou em Ciências Contábeis, mas todos meus filhos são pessoas do bem e estão encaminhados na vida, agora espero que meus netos não desistam dos livros;dos meus 19 netos apenas 01 conseguiu se formar em Farmácia e tenho 03 cursando faculdade; espero ver meus netos doutores e realizados e toda a labuta que tive com os filhos para que não abandonassem a escola , agora desejo isso aos meus netos que nunca desistam e busquem cada vez mais os estudos. Tive a oportunidade de fazer o Logos I e II para continuar com minhas aulas, mas as dificuldades na época em deixar minhas crianças para continuar os estudos foi o que me fez desistir. Quando vejo minhas noras professoras (Bianca, Ivanete, Eliane e Elizabeth) eu me sinto realizada por que vejo nelas o que fui um dia e lembro com saudade de meus alunos”.

 Atualmente Dona Adélia vive na roça cuidando de suas plantas e animais e sempre que pode aconselha sua “netaiada” a não abandonar os livros.
 



Fale conosco ou participe do nosso grupo do WhatsApp




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



BOM JESUS  |   17/04/2021 08h31

Bom Jesus - PI
 




BOM JESUS  |   14/04/2021 14h56

Bom Jesus - PI
 

BOM JESUS  |   13/04/2021 19h50

Bom Jesus - PI